Tags

, , , ,

Ao longo dessa semana, pretendo analisar 3 séries de fotografias que vão nos ajudar a entender melhor o nosso país real, que eu venho chamando Brasil de carne e osso – missão desse blog. A primeira série de fotos fala do escândalo da Petrobrás, maior empresa do País.

Os investigados da operação Lava Jato

As dezenas de fotos abaixo retratam as pessoas que deverão ser investigadas pelo Ministério Público. A Polícia Federal apelidou essa operação de “Lava Jato”.

Ver bem: ninguém ainda foi condenado! Todos deverão ser investigados com o absoluto e total direito de defesa. Há pessoas de diferentes partidos. Fala-se em centenas de milhões de dólares que foram desviados da Petrobrás. Só um dos investigados – Pedro Barusco -, um operador do 4º escalão, prometeu devolver cerca de 100 milhões de dólares – a bagatela de mais ou menos 300 milhões de reais! Trata-se de muita grana. Toda essa dinheirama caso fosse bem aplicada na habilitação da juventude desfavorecida e massacrada pela polícia provocaria uma pequena revolução. Vamos às fotos. Peço a atenção das leitoras e leitores:

Fotos publicadas pelo site Folha no Painel do Leitor (8/3/2015)

Colarinho Branco

 

Uma coisa que chama a atenção é que temos apenas 3 mulheres dentre as dezenas de investigados. Reparem que os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, respectivamente Eduardo Cunha e Renan Calheiros, estão aí no quadro bem na foto. Esses dois senhores lideram um poder – o legislativo – que a minha geração defendeu bravamente durante a ditadura militar, época em que se cassava parlamentares, não por corrupção, mas por defenderem os direitos do povo. Dentre os investigados estão dois governadores, um vice-governador, dois ex-governadores e um ex-presidente da república. Tem-se ainda uma “renca” de políticos – ex-ministros, deputados e senadores.

Se olharem de novo verão que o quadro de investigados poderia se referir à Espanha, Itália ou Portugal – países europeus. Todos são brancos. Todos!

Nesse quadro de fotos teve-se apenas o time político. Há ainda empresários, doleiros e ex-diretores da Petrobrás já presos. Novamente todos brancos.

Em artigo postado no site do Geledès (19-Nov.-2014), afirmei que no chamado “crime do colarinho branco”, não só o colarinho era, mas o dono do pescoço também. Tais crimes se referem às pessoas bem-nascidas. Gente com pedrigree. Nesses casos sempre há muita grana envolvida e desde sempre – desde 1500 – terminava em pizza. As coisas vêm mudando – neste caso, para melhor.

Se observarmos o escândalo do mensalão (2006/2007), há 7 anos atrás; de novo só se veem brancos na lista dos indiciados. Se desejarem aprofundar um pouco mais no passado, verão em 1999, já durante o governo FHC, o caso de dois bancos: Marka e FonteCindan, quando 14 pessoas – todas elas também brancas – apareciam envolvidas num escândalo de 1,6 bilhões de reais. Neste caso ninguém foi condenado!

O procurador geral da república, Rodrigo Janot, estima que cerca de 700 milhões de reais serão recolhidos pelo tesouro nacional em multas decorrentes da Operação Lava Jato da Petrobrás. Ele já tem ideia do que fazer com essa grana: cadeias! Sim, isto mesmo: construir penitenciárias. Vale a pena a sociedade civil analisar se existem outras opções para a aplicação desse dinheiro. O ideal seria encaminhar essa dinheirama para projetos que impeçam as pessoas de irem para a cadeia no futuro. Esse cacoete brasileiro de prender em vez de cuidar, revela uma foto que não foi feita: o Brasil é o País do apartheid naturalizado e arraigado nas entranhas de nossa gênese. Bem; isso merece outro artigo. Faltam mais 2 textos da série “Fotos que Explicam O Brasil”. Até lá.

Anúncios