Tags

, ,

Screen Shot 2015-03-08 at 1.35.45 PMNum romance que eu escrevi (O homem lésbico. Global: 2011), o personagem principal é um homem que desenvolve um particular tipo de emotividade. Como se sabe a emoção é um componente marcadamente feminino.

Grande parte da crise do macho se deve ao fato de ele dispor de intensidade de sentimentos, mas não saber como lidar com as emoções. Meninos são treinados a fugir da emoção – esta tem sido ainda a regra.

Em debate transmitido pela TV sobre o que cada um – o homem e a mulher – procura identificar no outro na hora de se acasalar nota-se que os homens são mais visuais. Focam no corpo e se satisfazem muito por esse caminho. As mulheres valorizam isso também, mas buscam ainda o que a pessoa tem no seu interior, como a inteligência e a bondade. Essa diferença para se processar a escolha evidencia como o ser feminino está adiante do homem-macho. Os homens deveriam se mirar nas mulheres para se aperfeiçoarem como pessoa.

Ao fazer um estágio forçado de 9 meses no ventre de sua mãe, todo homem capta o feminino, mas a sociedade machista cuida depois de vetar esse mundo para ele.

A fêmea do homo sapiens – femina sapiens – veio antes dele. A ideia do ser humano dotado de inteligência superior é originalmente fêmea. Quem prova isso é a genética. Todos nós temos uma avó mitocondrial e não um avô, rechaçando a ideia bíblica da mulher vir da “costela de Adão”. Deu-se o contrário: Adão inteiro veio de uma mulher.

O homem do presente sofre uma síndrome que, na falta de outro nome, chamo de inadequação às mulheres. Há uma inadequação na forma do homem atuar perante as necessidades presentes da mulher. Os homens de fato são desnecessários por não suprirem as carências que impedem as mulheres de ser mais felizes e completas nos dias de hoje.

De uma certa maneira os homens cumprem aqueles papeis tradicionais: geram filhos, dão provimento à família (atualmente, cada vez mais, as mulheres participam também do custeio familiar), protegem, enfim são homens a partir de um padrão já estabelecido, mas são incapazes de mergulhar fundo na alma de suas mulheres. Não há qualidade emocional. Os homens, hoje, são inadequados de fato à mulher contemporânea, mais atenta e mais disposta a ter a sua luminosidade completa. Esta fêmea não aceita eclipsar a sua luz natural. O modelo masculino trazido no livro, pelo contrário, busca maximizar essa energia feminina sem medo – é precisamente isto que a maioria dos homens sente quando conhecem-na.

Anúncios